Biting everything that I meet
Segunda-feira, 13 de Julho de 2009
ACEITA A MINHA AMIZADE

"- Gosto imenso de ti. - Sou teu amigo e quero estar contigo em todo o lado. - Apareci junto de tua casa, porque o"Fofo", tão pachorrento, sempre me acarinhou. Ele corre para ti e foi com ele que eu me aproximei. Vi que eras uma pessoa boa e que tinhas sempre um bolinho para me mimares. Depois, passaste a trazer-me um copo daquelas bolachitas que tanto gosto.

Inesperadamente, a minha companheira apareceu com uma matilha atrás dela, mas a natureza é assim, nada podia ou posso fazer. Mas, mesmo daqueles que me mordiam, para correrem comigo, passaram a ser teus amigos. Foi com grande admiração que eu notei que esses também caminhavam para ti, lambendo-te as mãos carinhosamente, tal qual eu sempre fiz.
 
Eu sei bem que, naquele Sábado, dia 4 de Julho de 2009, me portei mal, quando me atirei àqueles bonequinhos que, junto das donas, passeavam na Avenida Humberto Delgado, em Belas, quando te propunhas colher imagens dos ranchos que, então desfilavam. Eu vi que ficaste numa situação embaraçosa e, a partir daí, tens procurado afastar-me de ti. Não me mimas com as bolachitas.
 
Não te aproximas nem deixas que me aproxime de ti.
Não me fazes aqueles carinhos que outrora me deliciavam e que revelavam muita amizade, para comigo. Também não tive culpa que, quando eu e a minha companheira seguíamos o teu automóvel ela se tenha descuidado e deixou que a roda de trás lhe pisasse a pata. Eu bem vi que ficaste muito chateado, mas estas coisas também acontecem aos humanos. Quantos, inadvertidamente, se terão deixado pisar por rodas de automóveis?
Gosto tanto de ir contigo às caminhadas, mas tens evitado que eu te acompanhe. Estou a sentir-me só. O meu dono nada quer saber. Não me trata, nem me dá comida. Queria tanto ter a tua amizade e não consigo convencer-te que sou realmente teu amigo.
Não sei como recompensar aquele carinho que me tens dado.
Eu não tenho outra forma de te recompensar a não ser estar próximo de ti e seguir os teus passos.
Presto-te um serviço em troca. Acompanho-te e guardo-te.
Crê que estou disposto a estar sempre contigo, porque poderás precisar da minha ajuda, quando andas sozinho por aqueles pinhais. Cada vez me sinto mais triste, porque não queria perder a tua amizade, apesar de me ralhares e não me quereres junto de ti, vês bem que eu vou seguindo de perto os teus passos.
Vou vendo como segues no teu caminho e quem é que de ti se aproxima. Hoje, tive receio. Aquele pastor alemão da GNR tentou correr para mim, se não fosse o Guarda ele tinha-me dado uma tareia. Eu, apesar de ser contra a tua vontade, encostei-me às tuas pernas, quando paraste. Vi que olhaste para mim e viste-me a tremer.
Permitiste que eu te seguisse mais de perto, a partir dali, mas, pouco depois, me disseste que não me querias próximo. Peço-te para seres tolerante para comigo.
Deixa-me ser teu amigo.
Olha que a vida de cão não é fácil!"

tags:

publicado por osmeusolhares09 às 16:31
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

A TEIMOSIA... DOUTOR! AIN...

EU... SÓ EU... NADA MAIS

POEMA DA "MENTE"

A BURLA NOS TELEFONES » H...

TESTE DE PATERNIDADE NAS ...

A LOOK SUPER COOL ...

PORTUGAL POR ONDE VAIS

« "MANSO" É A TUA TIA, PÁ...

A LEI DA ROLHA E A VIRGE...

ESTRADA SEM SAÍDA

arquivos

Abril 2011

Março 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

A LEI DA ROLHA E A VIRGE...

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds