Biting everything that I meet
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009
PORTUGAL E ITÁLIA > COMBINAÇÃO PERFEITA

Muito bom ver produtos da União Europeia de diferentes países a serem promovidos em conjunto:
> Vinho do Porto > Portugal; 
> Presunto de Parma > Itália; 
 
Vejamos: 
"Vinho do Porto junta-se ao presunto de Parma

Aliança europeia combina vinho do Porto, presunto de Parma, queijo parmigiano-reggiano e vinhos da Borgonha para proteger designações comunitárias.

O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) vai participar numa iniciativa comunitária para promover a "Excelência Europeia" através de produtos como os vinhos do Douro e Porto e da Borgonha, o presunto de Parma e o queijo parmigiano-regianno. "Discover the Origin" é o lema desta acção que convida os europeus a descobrirem as origens dos seus produtos e a valorizarem as designações comunitárias, combinando, num mesmo cabaz, diferentes produtos de países da UE, com características específicas associadas às suas origens geográficas e com uma herança cultural própria. A primeira iniciativa arranca esta semana, no Reino Unido, com apresentações das regiões e provas dos produtos. A acção tem três alvos definidos: consumidores com rendimentos elevados, residentes em áreas metropolitanas e "gourmets" entre os 30 e os 45 anos, distribuidores de comida e vinhos e líderes de opinião. Para a promoção deste cabaz de "Excelência Europeia" serão privilegiadas feiras de vinhos e gourmet, seminários em escolas, concursos, internet, visitas de jornalistas às regiões envolvidas no projecto, e publicações de livros e publi-reportagens. Para o IVDP, este projecto insere-se na estratégia desenvolvida nos últimos anos para defender as designações de origem Porto e Douro, como a participação no Center of Wine Origins, nos Estados Unidos, em parceria com as principais regiões vitivinícolas do mundo. Em 2008, a comercialização de vinho do Porto teve o seu pior ano da década, com as vendas a caírem 7%, para os 380 milhões de euros, as exportações em baixa e o preço médio por litro a descer dos 4,29 euros para os 4,26 euros.

 

 

Expresso | 16-01-2009"

 



publicado por osmeusolhares09 às 13:42
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009
DE BEIJÓS > ÀS ILHAS DA BRUMA

Ilhas de Bruma  Autor: José Ferreira Ainda sinto os pés no terreiro Onde os meus avós bailavam o pezinho A bela Aurora e a Sapateia É que nas veias corre-me basalto negro E na lembrança vulcões e terramotos Por isso é que eu sou das ilhas de bruma Onde as gaivotas vão beijar a terra  Se no falar trago a dolência das ondas O olhar é a doçura das lagoas É que trago a ternura das hortênsias No coração a ardência das caldeiras. Por isso é que eu sou das ilhas de bruma Onde as gaivotas vão beijar a terra

 

Trago longe a saudade esta amargura

Só o vento ecoa mundos na lonjura,

Mas trago o mar imenso no meu peito

E tanto verde a indicar-me a esperança. 

 

 

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma Onde as gaivotas vão beijar a terra

É que nas veias corre-me basalto negro No coração a ardência das caldeiras O mar imenso me enche a alma E tenho verde, tanto verde a indicar-me a esperança.

 

Como é bom viajar de Beijós às Ilhas de Bruma, para recordar aqueles momentos inesquecíveis, que outrora vivemos...
Açores 
 

Eu sou das Ilhas de Bruma

Para a Azoriana

 

 

ILHAS DE BRUMA

 

Ainda sinto os pés no terreiro

Em que meus avós bailhavam o pezinho,

A bela aurora e a sapateia

É que nas veias corre-me basalto negro

E na lembrança vulcões e terramotos.

 

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma

Onde as gaivotas vão beijar a terra

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma

Onde as gaivotas vão beijar a terra.

 

Se no falar, trago a dolência das ondas

O olhar é a doçura das lagoas

É que trago a ternura das hortênsias

No coração a ardência das caldeiras.

 

Trago o roxo, a saudade, esta amargura

Só o vento ecoa mundos na lonjura

Mas trago o mar imenso no meu peito

E tanto verde a indicar-me a esperança.

 

É que nas veias corre-me basalto negro

No coração a ardência das caldeiras

O mar imenso me enche a alma

Tenho verde, tanto verde, tanta esperança.

 

Letra e música: Manuel Medeiros Ferreira

Intérpretes: Paulo Andrade, Susana Coelho,

José Ferreira, Luís Gil Bettencourt

Álbum: “7 ANOS DE MÚSICA

 



publicado por osmeusolhares09 às 10:27
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

A TEIMOSIA... DOUTOR! AIN...

EU... SÓ EU... NADA MAIS

POEMA DA "MENTE"

A BURLA NOS TELEFONES » H...

TESTE DE PATERNIDADE NAS ...

A LOOK SUPER COOL ...

PORTUGAL POR ONDE VAIS

« "MANSO" É A TUA TIA, PÁ...

A LEI DA ROLHA E A VIRGE...

ESTRADA SEM SAÍDA

arquivos

Abril 2011

Março 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

A LEI DA ROLHA E A VIRGE...

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds